Go to Top

Ideias e propostas de gestores escolares para melhoria da educação pública do estado do Rio de Janeiro

Print

Nos dias 03 e 04 de novembro de 2016, das 13h às 17h, no 3º andar do Prédio da FIRJAN, na Avenida Graça Aranha 1, no Centro do Rio de Janeiro, um grupo de 345 gestores de educação do estado do Rio de Janeiro apresentarão seus trabalhos de conclusão do curso (TCC) de especialização do MBA Gestão Empreendedora, com ênfase em Educação, da Universidade Federal Fluminense. O TCC é apresentado na forma de um plano de empreendimento, onde cada participante apresenta uma proposta de intervenção para melhoria da qualidade da educação na sua escola. Concluíram o curso 112 diretores de escola, 66 diretores adjuntos, 66 Agentes de Acompanhamento da Gestão Escolar (AAGEs) e 101 profissionais da carreira do magistério que ocupavam cargos de gestão quando ingressaram no curso.

Em um período de mudança de governo, de diretrizes e de contexto econômico, em que uma crise de grandes proporções afeta todo o país, é alentador saber que 86% dos ingressantes do curso, iniciado em março de 2015, o concluirão. Estes gestores mostraram interesse em aprender e contribuir com suas ideias para a melhoria a educação pública no estado do Rio de Janeiro.

O ambiente escolar é por natureza complexo. A equipe responsável pela direção da escola tem um cotidiano repleto de problemas e lida com questões das mais diversas. Num mar de problemas, o que tratar primeiro? Como liderar um corpo docente e discente desmotivado? Como fazer com que os pais participem mais da vida escolar dos filhos? Como envolver a comunidade para que ela se torne parceira da escola? Como tornar educador o ambiente do entorno da escola? E do bairro? Estes são temas tratados nas diversas disciplinas no curso, à luz dos constructos da gestão, que foram tratados nas propostas apresentadas como Planos de Empreendimento (PLEM).

A apresentação do plano de empreendimento é a culminância do curso, pois apresenta um projeto concreto de melhoria da qualidade da aprendizagem da escola. O plano de empreendimento ilumina, também, as grandes questões que preocupam os dirigentes escolares do Rio de Janeiro, hoje. Após análise dos problemas levantados e das ações propostas para melhorar a qualidade do ensino na escola, observados nos 345 planos de empreendimentos elaborados, a coordenação do curso chegou às seguintes conclusões:

  • percebe-se, claramente, a preocupação dos diretores com a necessidade de os professores prepararem aulas mais atraentes para motivar os alunos a aprender, a se interessarem pelo estudo, a verem sentido no aprendizado, quando eles propõem, majoritariamente, que é urgente investir em inovações pedagógicas, com 66%.
  • verifica-se, ainda relacionado à primeira evidência, que em segundo lugar aparece a preocupação com a utilização da tecnologia no ensino das disciplinas. Eles sentem que os professores não sabem usar a tecnologia no ensino, efetivamente, para além do uso das ferramentas de edição de texto. Embora muitas escolas já estejam equipadas com recursos de informática, estes não são usados para disponibilizar jogos de aprendizagem e outros objetos de ensino multimídia, com 39,6%;
  • constata-se que, se reunidas todas as propostas que visam, especificamente, a melhoria do desempenho escolar nas disciplinas oferecidas, temos, também, 39,6%, onde a melhoria do desempenho em matemática e em língua portuguesa, leitura, escrita e interpretação de textos figuram entre as preocupações mais frequentes;
  • evidencia-se, também, a preocupação dos participantes com as ações que visam especificamente a formação continuada dos professores e as ações que envolvem planejamento escolar, que, somados, perfazem 30%.
  • Observa-se que a relação da escola com a família e a comunidade, também é preocupação dos diretores, perfazendo, ambos, 28,9% das propostas apresentadas.

O destaque nesta análise dos temas que mais preocupam os gestores escolares participantes são as ações voltadas para a necessidade de mudanças nos processos de organização da escola e a na prática docente, que vão além das mudanças que, ainda, precisam ser alcançados nas condições de trabalho do professor, na carreira, no salário etc. A falta de metodologias e práticas de gestão mais efetivas e o despreparo do corpo docente para enfrentar a grande questão evidenciada nas avaliações, ou seja, a qualidade da educação oferecida, dominam os temas dos Planos. Isto pode ser constatado quando grande parte das ações propostas dizem respeito à necessidade de o professor preparar aulas mais atraentes e diversificar da metodologia de ensino com formas diferentes de tratar os conteúdos, usar mais os objetos/jogos de aprendizagem disponíveis e dominar as técnicas de construção para elaborar novos objetos.

Fica claro, a partir das análises dos Planos, que os participantes entendem que é papel da gestão da escola desenvolver entre seus docentes a compreensão de que a escola é um campo de aprendizagem não só para o aluno, mas para o professor, também, e onde a atuação competente de cada professor é valorizada com espaços dignos destinados ao compartilhamento de experiências exitosas entre pares de sua escola e de outras unidades escolares. Isso motiva os melhores professores e estimula os que precisam melhorar. A cultura escolar, embora seja constituída por um conjunto de fatores intrínsecos e extrínsecos à própria escola, de fato, traduz mais diretamente a cultura dos docentes que aí trabalham. Isto significa que, ao influenciar a natureza das interações entre os professores, a cultura docente é de vital importância na determinação da qualidade dos processos educativos.

Enfim, os temas abordados com mais frequência mantêm uma distribuição similar, independente de cargo, região ou tamanho das escolas. A análise dos PLEMs sugere que os gestores parecem compreender que o maior desafio para a melhoria da educação é a promoção de melhores maneiras de ensinar, de formas de capacitar e envolver o professor e de interagir com a comunidade.

A saber, os formandos estão lotados nas diretorias regionais metropolitanas (172), Serranas I e II (32), Baixadas Litorâneas (30), Norte e Noroeste Fluminense (27), Centro Sul (23), Médio Paraíba (20) em escolas do Rio de Janeiro (85), São Gonçalo (38), Nova Iguaçu (27) e Duque de Caxias (23).

O MBA Gestão Empreendedora – Educação é resultado de uma parceria entre a Universidade Federal Fluminense, a Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro e o Sistema FIRJAN.